Hipnoterapia e Dor

A Hipnose pode ter utilidade como recurso auxiliar no tratamento da dor, conforme pesquisa Neubern (2009):

A relevância de tal concepção está no fato de que, sendo a dor uma experiência do sujeito, entrecruzada por processos históricos e pela dialética com o social, ela é passível de sofrer influência das relações em que o sujeito toma parte, o que pode propiciar uma abordagem terapêutica pertinente e eficaz para a mesma. Assim, a hipnose se torna particularmente útil em dois sentidos intimamente relacionados. Primeiramente, como recurso terapêutico, já que é concebida como um processo relacional e de influência mútua (Carvalho, 1997; Erickson & Rossi, 1979) que pode assim reconfigurar a experiência dolorosa, promovendo novos arranjos de emoções, significados e sentidos. Em segundo lugar, por abrir espaço para a investigação do campo relacional e subjetivo que se configura no contexto de uma demanda ligada à dor, o que pode contribuir para uma compreensão mais abrangente da mesma em termos médicos e psicológicos.

Referências:
NEUBERN, Maurício da Silva. Hipnose e dor: proposta de metodologia clínica e qualitativa de estudo. PsicoUSF, v. 14, n. 2, p. 201-209, 2009. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S1413-82712009000200009&script=sci_arttext>. Acesso em: 05 set. 2015